MUITO AMOR PELAS RECEITAS DA MINHA MÃE

Ainda estou namorando o caderno de receitas da minha mãe que vive com ela na casa da serra, sei que sou a única herdeira desta relíquia. Já tenho alguns furtos guardados comigo como o pastelzinho feito com banha de porco, a torta salgada que é uma mão na roda e aceita mil variações e os 'biscoitos da titia', como está escrito no papel já amarelado pelo tempo. É, antigamente se cozinhava com banha de porco e media-se os secos no pires, no copo de geleia ou americano, que de americano não tem nada e é uma relíquia muito brasileira inventada por Nadir Figueiredo na década de 40. É muito bom ler, reler, preparar e guardar estas preciosidades, mesmo que sejam adaptadas e mudadas ao longo do tempo até por nós mesmos. Nos apropriamos um pouco das receitas e as tornamos um pouco nossas ao longo da vida, para mim isto é importantíssimo na construção de uma tradição familiar. É assim que mantemos viva a nossa memória e começamos a contar uma linda história, não?