PERSISTIR, O GRANDE DESAFIO

Estou cansada. A cozinha e os pratos estão vazios, não há inspiração nem compras a fazer. A faxina já foi feita, as louças estão guardadas e secas, a fonte secou. É difícil persistir. Queria ter prozeado com Bukowski uma vez que fosse pra quem sabe ter mais coragem. Quanto mais velha fico, mais fácil e rápido faço escolhas, mais difícil a tolerância fica. Eu gosto de pimenta e de toalha bordada. Sou da pá virada, uma ovelha negra educada, eu não me satisfaço. Só me desfaço. Vai. Força. Foda-se!