ONDE NASCE SUA INSPIRAÇÃO?

Inspiração para mim é tudo que olho e transformo em amor dentro de mim, seja lá o que for. Pode nascer em objetos que deixam de ser materiais e começam a ganhar vida, um lar e histórias para contar. Pode nascer de uma lágrima ou de uma flor. Cozinhar sem afeto é o mesmo que envenenar; só gosto de acender a chama do fogão se for para aquecer o coração junto, e que nunca me falte inspiração. Quero te fazer um convite: vamos expirar amor?

No início do livro publiquei uma foto com algumas receitas do caderno da minha mãe que é muito afetivo pra mim (para rever clique aqui). Abaixo estão as últimas fotos do livro, com objetos muito simbólicos em minha vida. Estes objetos me inspiram muito pois pertencem à minha amada mãe Lucy, a quem tenho grande admiração e amor. Que ela se sinta abraçada e amada com esta publicação, que teve muitas páginas dedicadas a homenageá-la. Meu marido Thiago e minha mãe são minhas maiores preciosidades, dedico este livro e meu amor infinito a eles e aos nossos bichinhos amados. Ver estes objetos é como ver nossa história transformada através do tempo, para mim é como olhar fotografias.

Faqueiro de quando meus pais de ajuntaram, em 1971.

Jogo de chá de porcelana da minha mãe, faltando a leiteira pois está na casa do meu irmão sendo utilizada e contando as histórias dos cafés da manhã do meu irmão.

No meio, tigelas de barro Marajoaras compradas por minha mãe em Manaus há cerca de 30 anos. E as panelas de barro empilhadas... ah, as panelas de barro! Quantas histórias elas têm pra contar! Cansaram de ficar sobre o fogão à lenha em nossa casa em Guapimirim, na Serra do Órgãos, onde estas fotos foram feitas para o livro. Fiz as fotos lá mesmo onde elas moram, na prateleira da cozinha americana de minha mãe, ao lado do rio, em frente à mesa onde fazemos nossas refeições.

Utensílios da cozinha da minha mãe na serra, do jeito que estavam lá. Os pilões pequenos de madeira foram pintados por mim e meu irmão no jardim de infância (década de 80, a vida voa!). Ela os deixa ali do ladinho do fogão e da geladeira, talvez seja sua inspiração. Tem mandolim, banho maria, raladores, fouet, palhaço, pato e árvore de Natal 365 dias por ano.

Todo mundo tem sua própria história e suas próprias fontes de inspiração e eu adoro compartilhar as minhas. Este mosaico acima mostra algumas das vidas mais importantes da minha vida, aqueles sem os quais a minha vida não teria o menor sentido. No centro está a vovó Adélia, mãe do meu pai, uma libanesa que veio para o Brasil aos 13 anos de idade prometida para casar com o primo com quem teve 11 filhos, entre eles meu amado pai Munhir. É a ela que dedico aquele capítulo inteirinho de comidas árabes no livro. Também aparecem na foto meus amados pais, as sorridentes vovó Rosa e Celinha que cuidaram e cuidam de nós até hoje com um dos amores mais puros que conheci neste mundo, meu irmão, meu sobrinho, meu marido e Pinga e Tyson representando os bichinhos que tanto amamos e que não caberiam em um mosaico com vinte divisões. Faltou foto do vô Mário, do Banjo e do Benjy, dos nossos felinos amados, da vila, da casa de Terê, dos amigos, de tanta coisa e de tanta gente. Quantas lembranças boas, quanta vida vivida! Agora estou construindo novas memórias através da comida e da fotografia em minha vida e espero que você possa levar um pouco deste meu amor materializado no livro até sua casa, sua cozinha, seus objetos e suas pessoas queridas. Amor compartilhado é amor multiplicado! Vamos compartilhar? Conte sua história e inspire outras pessoas também, que tal começar com um almoço no próximo domigo? 

Este é o portão da sala de estar da casa da serra. Nele se escondem muitas lembranças, sonhos, infância, maturidade, imaturidade, tantas histórias... Quando fui fazer algumas fotos para encerrar o livro, bem na data do aniversário de minha mãe em 2017, olhei para este portão que está sempre ali aberto encostado na parede e pensei: "que ótima foto para encerrar o livro, que formato lindo de coração ele tem, tudo a ver com tudo que tento dizer!" Espero que ele possa inspirar você a olhar os objetos à sua volta, as pessoas, os bichos, a natureza, a vida, e quem sabe interpretá-los de outras formas, com novos olhares, novos sentidos. Sim, é só um portão, mas depende de como você o vê. É só um coração, é só comida, é só amor. Tudo pode ser só alguma coisa, mas também pode ser sempre um pouco mais. Pode nos fazer sorrir e contruir nossa história e nossa memória de forma diferente. O significado e o sentido de tudo que está à sua volta é você que escolhe. Inspire-se! ♥