CANJA RICA DA LA DAHER - A RECEITA

Esta é uma das minhas refeições favoritas e acho que é a comida que mais preparo durante todo o ano em casa, acho que pela praticidade, pelos nutrientes e pelo sabor. Chamo minha canja de rica porque coloco muitas coisas nutritivas e deliciosas. Resolvi batizá-la assim e virou a minha canjinha superprática e saborosa para o dia a dia, bem cheia de limão como eu gosto e alguns ingredientes que não fazem parte da receita tradicional. Nos dias mais frios é presença certa na mesa com um pouco de pimenta.




Ingredientes
1x arroz integral
1/2x sementes de quinoa
2 cenouras médias e finas cortadas no mandolin
1 inhame médio picado 
1 maço farto de hortelã (apenas as folhas)
3 a 5 limões-taiti grandes
1kg peito de frango sem pele e sem osso
1col chá cúrcuma em pó
sal, pimenta-do-reino e pimenta-caiena à gosto
1 cebola grande e óleo para refogar
2 ou 3 folhas de louro

Preparo: Coloque quatro litros de água para ferver em uma chaleira enquanto pica os vegetais e separa os ingredientes. Pique o peito de frango em cubos, tempere com suco de dois limões e reserve (não coloque sal agora). Deixe a quinoa de molho em água com uma peneira por alguns minutos e escorra, esta etapa é importante para não amargar o preparo. Em uma panela grande, refogue a cebola com as folhas de louro em um pouco de óleo vegetal. Não deixe a cebola dourar, apenas ficar transparente. Acrescente o frango picado e refogue por alguns minutos, depois adicione a cenoura e o inhame e mexa um pouco para refogar mas sem deixar dourar. Coloque sal e pimenta-do-reino a gosto e acrescente a cúrcuma em pó. Adicione os grãos de quinoa e arroz, mexa e coloque metade da água fervente. Cozinhe em fogo baixo por 40 minutos, mexendo de vez em quando e acrescentando mais água ao longo do cozimento. Desligue o fogo, coloque as folhas de hortelã e o suco de mais um ou dois limões e deixe descansar por 15 minutos. Sirva com azeite, croutons e pimenta-caiena.

Obs: às vezes acrescento mais água fervente quando desligo o fogo, dependendo do tipo de arroz que estou usando. Gosto de deixar a canja com bastante caldo e o arroz continua absorvendo água depois deste tempo de cozimento. Se você preferir a sopa com consistência de papa não coloque mais água.

Dica: acrescente um talo de alho poró picado para o refogado com a cebola e acrescente mais uma camada de sabor à esta deliciosa canja, fica incrível! Outra sugestão é servir com ovo poché, é um charme para oferecer como entrada em jantares de inverno.

A canja tradicional tem propriedades anti-inflamatórias por ser feita com o frango inteiro com pele e osso em cozimento bem lento. Como eu utilizo o peito de frango sem pele e sem osso, compenso colocando a cúrcuma no cozimento (o açafrão-da-terra também possui propriedades anti-inflamatórias). Já falei sobre o congee aqui no blog, procure para saber sobre o pai oriental da nossa canja de galinha. Para mim esta canjinha rica é revigorante, reconfortante, leve, nutritiva e saudável; um dos pratos que mais adoro preparar e servir aqui em casa.💛