LA DAHER NA FEIRA

Há alguns dias atrás propus uma reflexão para os seguidores da La Daher no Instagram. Durante uma semana postei apenas fotos de ingredientes que cliquei na feira, não postei foto de nenhum preparo. A ideia era observar os ingredientes com calma e carinho, prestar atenção na relação que temos com eles, na atenção que damos a isto e como isto afeta nosso dia a dia. Vou copiar as legendas na íntegra e compartilhar as fotos aqui, assim esta proposta não fica perdida no tempo e na enxurrada de postagens da internet, e podemos rever e refletir com calma quando quisermos. Bom dia e boa feira! ♥


Primeira postagem em 08/05/2017 no Instagram da @ladaher: Nos próximos dias vou compartilhar com vocês apenas fotos de ingredientes que fotografei na feira, não colocarei foto de nenhum preparo. A ideia é convidar vocês a olharem as formas, perceberem as texturas, as cores, a vida que a comida tem além do nosso prato, e de que forma e em que sentidos ela os impacta. Pare uns segundinhos para olhar e perceber o que sente, e tente fazer o mesmo quando for comprá-los. Nossa relação com a comida muda um pouco quando saímos do modo automático em que às vezes estamos, fazemos muitas coisas sem pensar na correria do dia a dia. Eu preciso me policiar! Pena que a internet não tem cheiro, seria maravilhoso enviar junto os aromas! Este é também um ótimo exercício para fazermos não só com a comida, mas com as pessoas, com a nossa própria vida. Parar, olhar, perceber, sentir, se encantar, escolher, inspirar, expirar, amar. Estou começando com o coco pois eu e meu marido adoramos, por aqui o bolo de coco gelado na travessa é muito afetivo pra nós. E pra você, que lembranças o coco traz? Costuma comprá-lo? Qual é o seu preparo favorito com este ingrediente? Bons sentidos para sua semana e sua vida! Bom dia! 


:: CENOURA :: no bolo, na salada ou na canja?


:: AMEIXA :: Se o amor estiver em nós, estará também em todos os lugares, em todas as coisas, para onde quer que olharmos, para onde formos. 


:: ABÓBORA-MENINA :: Qual foi a última vez que você comprou? 


:: GENGIBRE :: No suco, no frango oriental ou no chá? Gengibre-se! :) Pelos olhos do Manual do Herói (Sonia Hirsch): ativa o aquecedor médio, abre os meridianos, elimina as obstruções dos orifícios, ativa o yang, reduz o yin, regula e favorece o chi, expele o frio, reforça os tendões. Seco: contra pés e mãos frios, reumatismo, enjôo matinal, diarreia aguada, vômitos. Fresco: contra gripes e resfriados, vômitos, catarro, tosse, diarreia, reumatismo, orquite aguda. 


:: AIPIM, MANDIOCA, MACAXEIRA :: Bom dia com este vegetal incrível e tão brasileiro. Dele sai a deliciosa farinha da farofa e do pirão, o polvilho doce e o azedo, a tapioca... É bom de comer cozido com manteiga, frito, no bobó, no escondidinho ou no bolo com coco pra acompanhar um café fresquinho. O que você prefere fazer com ele? O que acha desta cor e desta textura de árvore? E da liga que dá quando está cozido? Parece uma cola! Adoro ver aipim na feira cheio de terra, me faz lembrar a infância e de quando ia colher com minha mãe na serra, colocávamos com a casca no pé da fogueira de São João, às vezes embrulhado em papel alumínio. Que delícia é comer aipim assado direto na brasa, que saudade da infância! 




:: MAÇÃ :: Do amor, do pecado, da torta ou da salada?! Quanta coisa um alimento pode ser, né? Pode ser só uma maçã, mas pode estar disfarçada na cesta da rainha para envenenar a princesa, pode ser afrodisíaca, perfumada, pode despertar nossos sentidos e tornar nosso dia mais encantado, só depende de nós. Comida não é só comida, nunca foi. É alquimia, fantasia, remédio e veneno. Vamos tentar olhar o alimento de outra forma, sentir seu cheiro, sua textura, seu sabor? Vamos encantar nossa maçã, nosso almoço, nosso pão? Dê a primeira mordida e suas tortas nunca mais serão as mesmas, tenho certeza. Amar é irreversível.




:: JILÓ :: E porque a vida nem sempre é doce, vamos comer um pouco do amargo que está fora ou até dentro de nós, digerir e harmonizar. Amargo também é um sabor, vamos dar uma chance? Qual foi a última vez que você comeu jiló? 


CEBOLA :: O que seria da comida brasileira sem esta maravilha? "Chora... não vou ligar, não vou ligar! Chegou a hora, vais me pagar... Pode chorar, pode chorar!"


:: BANANA :: 💛


:: TOMATE :: No molho, na brasa, na bruschetta, na lasanha, no vinagrete, na caprese, assado, recheado, temperado. Nhac! 🍅


:: BATATA-DOCE BRANCA :: Quem já provou?


:: BREINJELA 🍆 ::


:: BATATA ASTERIX :: Ótima opção para preparar batata frita ou purês, por exemplo, pois possui menor quantidade de água se comparada à batata inglesa.


:: PERA 🍐 ::


:: VAGEM :: vó Rosa sempre preparava vagem picadinha com cenoura pro almoço, adoro! Ela tem mãos de fada...


:: ALHO :: Este não pode faltar de jeito nenhum aqui em casa! Adoramos sabores fortes, picantes e ácidos, e o alho mora no lado esquerdo do peito junto com a pimenta e o limão. Assado fica mais adocicado e é maravilhoso também, acho que não existe nenhuma forma de não gostarmos desta maravilha. :)


:: INHAME, COLOCASIA ESCULENTA, TARO, INHAME-COCO :: Elixir da vida! Os havaianos que o digam, com seu poi medicinal. É uma pasta feita de inhame cozido e amassado por muito tempo em um pilão, até mudar de cor. Sendo poi ou não, ninguém tem dúvida de seus benefícios. Se causar irritação na pele é por causa do ácido oxálico, deixe um pouco de molho em água antes de manusear e dê preferência a comê-lo cozido ou fermentado. 


:: BATATA-DOCE :: A queridinha do momento do povo fit. Nunca esteve tão famosa, a gôndola do mercado nem tem espaço para os caixotes que chegam. Quem diria, logo ela, tão menosprezada antigamente, o patinho feio da feira. Vivia feliz, livre e solta apenas nas fogueiras da roça ao lado do seu amigo aipim, e é claro, nas casas das sabidas vovós, que já sabem há muito tempo que faz bem comer de tudo um pouco. Não ligam pra modas nem pro shape, elas sabem que isso passa, tudo passa. Esperam caladinhas entre limões e alfaces o dia em que irão descobrir a verdade sobre a abóbora! :)


:: MAXIXE :: E esta forma? Não dá pra ser indiferente a uma coisa dessas! A natureza é incrível!


:: AGRIÃO :: Quem amo?! Só vou perturbar vocês até amanhã com fotos da feira, fiquem tranquilos! :) 


:: BATATA INGLESA :: Pau pra toda obra, né?


:: 🍳 :: Frito, cozido, mexido, poché, no omelete, no suflê, no bolo, no merengue, nos cremes da confeitaria e sei lá mais o quê! Ovo rules! Palmas pra ele!


:: KIWI :: 💚


:: LIMÃO :: Mais um pro time do 'não vivo sem'! Já perceberam que se olharmos o mosaico de fotos da feira que estou fazendo aqui no IG tudo parece arredondado e divinamente proporcional? O que não é arredondado, é só cortar transversalmente para ver o formato curvilíneo (caso do aipim e da batata-doce). Quem manda os limões ficarem sempre mais ou menos do mesmo tamanho? Por que são sempre verdes, ovais, proporcionais? A natureza é incrível, o alimento por si só já é pura arte.


:: ALFACE ROXA :: Ufa! A alface não é oval, nem cortando transversalmente. Nenhuma folha é.


:: CEBOLINHA :: Bom dia! 💚 


:: SALSA, SALSINHA :: Junto com a cebolinha forma o cheiro verde, indispensável na minha cozinha. Hoje será o último dia de postagens da feira, me dá até um aperto pois vários ingredientes não serão mostrados e eles não são mais ou menos importantes que os que apareceram aqui. Todos são importantes. Eu só quis chamar um pouco a atenção para a beleza das cores, das formas e das texturas tão ricas que os alimentos têm, eu poderia ficar infinitamente produzindo conteúdo neste sentido, as possibilidades são inesgotáveis. Espero que possa ter inspirado vocês um pouquinho assim como me inspirei esta semana. Uma cozinha com poesia é uma cozinha com mais amor! ♥


:: PIMENTA DEDO-DE-MOÇA :: Não falta nunca aqui em casa. O refogado tradicional brasileiro é de cebola e alho, o meu é de cebola, alho e dedo-de-moça. Fora as outras que existem, e outras, e outras, quanta variedade! Pimenta é vida, eu e meu marido adoramos! E pra nós é melhor quando arde, faz chorar e suar a cabeça. Depois disto somos tomados por uma sensação de relaxamento e felicidade, não dá nem pra explicar. Vamos perder o medo das pimentas, elas são intensas, saborosas, desafiadoras, perfumadas e fantásticas!


:: CEBOLA ROXA :: 💜


:: BRÓCOLIS E COUVE-FLOR :: 


Feira sem caixote não é feira, né? Pode ser ao ar livre, no galpão, na esquina ou no mercado. Tem que ter caixote! 


:: ALFACE :: Me despeço das postagens da feira com este verde vivo e sorridente da alface, tão presente na mesa brasileira. Crespa, lisa, romana, americana, roxa, tanto faz. Deixo um poema em homenagem ao meu pai que não quer morrer sem comer pudim (ver post anterior ao coco) e ao poetinha que pelo visto não era muito chegado a uma salada. Que cada um encontre seu equilíbrio, sua paz, sua forma de comer e de se satisfazer, respeitando sempre a escolha do outro. Se as formas presentes na natureza são tão belas e diversas, por que tentamos nós buscar a mesma forma, a mesma fórmula? O que funciona pra mim pode não funcionar pra você, o que é bom pra mim nem sempre será bom pra você. Somos seres afetivos, feitos de carne, osso e alma, e cada alma precisa se alimentar de uma coisa. Que cada um alimente a sua como quiser e bem entender, mas que não falte nunca uma boa pitada de amor verdadeiro. Que esta diversidade mostre a face mais linda da natureza humana, às vezes doce, às vezes azeda, salgada ou amarga. Esta pra mim é uma receita de felicidade: apreciar, sentir e respeitar todos os sabores, tornar a vida umami. Espero que tenham gostado dos posts. Desculpem-me, batatas-baroas, abobrinhas e hortelãs. Encontrarei uma forma de valorizá-las em outras ocasiões. Vejo vocês na minha pequena cozinha! 💚

...
"Não comerei da alface a verde pétala
Nem da cenoura as hóstias desbotadas
Deixarei as pastagens às manadas
E a quem maior aprouver fazer dieta.

Cajus hei de chupar, mangas-espadas
Talvez pouco elegantes para um poeta
Mas peras e maçãs, deixo-as ao esteta
Que acredita no cromo das saladas.

Não nasci ruminante como os bois
Nem como os coelhos, roedor; nasci
Omnívoro: dêem-me feijão com arroz

E um bife, e um queijo forte, e parati
E eu morrerei feliz, do coração
De ter vivido sem comer em vão."