PÉLA-ÉGUA DO MEU JEITO

PÉLA-ÉGUA foi o preparo que escolhi para o nosso almoço de domingo. Este é um prato tradicional mineiro, feito com costela de porco, linguiça e temperos cozidos por um longo período em quirera de milho (a nossa canjiquinha amarela). No final acrescenta-se couve picada crua à mistura. Dizem que o prato recebeu este nome porque os tropeiros comiam e depois soltavam flatulências seguindo a cavalo para seus destinos.🙊😊 Hoje preparei o péla-égua de um jeito um pouco diferente do tradicional: assei a costela no forno com chipotle e geleia caseira de maçã, fiz a linguiça flambada na cachaça e lascas de alho douradas à parte. A canjiquinha foi feita na panela de pressão, cremosa com queijo meia-cura e couve picada. Gosto de ver as cores e as texturas diferentes na hora de servir e acho que ficou superbonito! O que acharam?



Ajuda ilustre na cozinha hoje! Primeira vez que meu amor picou cebola.♥





1 ripa de costela suína
250g de linguiça mineira fina e fresca
6 dentes de alho fatiados
1/2 xícara de vinho branco
1/4 de xícara de cachaça envelhecida
Geleia de pimenta para finalizar

MARINADA SECA PARA A COSTELA
1 colher de sopa de páprica doce
1 colher de chá de pimenta-caiena
1 colher de chá de cominho
1 colher de chá de açúcar mascavo
1 colher de chá de louro em pó
2 colheres de chá de orégano
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Péla-égua é um prato típico mineiro que consiste em cozinhar a quirera com costela de porco e linguiça. É servido com couve fatiada ou rasgada e as carnes são misturadas durante o cozimento. Dizem que o prato recebeu este nome porque os tropeiros comiam e depois soltavam flatulências seguindo a cavalo para seus destinos. Gosto de preparar o péla-égua de um jeito um pouco diferente do tradicional: asso a costela no forno, faço a linguiça flambada na cachaça e lascas de alho douradas à parte. A canjiquinha vai para a panela de pressão e fica cremosa com queijo meia-cura e couve picada adicionados no final do preparo. 

Comece pela costelinha: corte a costela em tiras individuais seguindo a direção dos ossinhos. Misture os ingredientes da marinada seca, massageie os pedaços com esta mistura e deixe na geladeira de um dia para o outro. Sele os pedaços na panela de pressão, adicione o vinho branco e duas xícaras de água e cozinhe por 20 minutos depois que começar a chiar. Enquanto isto preaqueça o forno a 240 graus. Disponha as tiras de costela em um tabuleiro e leve ao forno com um pouco do caldo do cozimento por cerca de meia hora, até dourar. Retire do forno e pincele geleia de pimenta em todas as tiras.

Corte e frite a linguiça na frigideira, flambe com a cachaça e reserve. Aproveite para dourar as lâminas de alho na frigideira e cuidado para não queimar.

CANJIQUINHA CREMOSA
1,5x de quirera de milho (canjiquinha amarela)
6x de água
3 dentes de alho
1 colher de chá de sal
1x de queijo meia-cura ralado
8 folhas de couve fatiadas finamente ou rasgadas

Ferva 6 xícaras de água com o sal em uma chaleira. Para preparar a canjiquinha, refogue a quirera com 3 dentes de alho dentro da panela de pressão, adicione a água fervente com o sal e mexa bem. Tampe a panela e aguarde 5 minutos após começar a chiar. Desligue o fogo, retire o ar, abra a panela com cuidado, acrescente o queijo e a couve picada e mexa vigorosamente. Prove e acerte os temperos. Sirva quente com a costelinha por cima, a linguiça frita e as lascas de alho douradas. Este prato fica delicioso com molho de pimenta, deixe à vontade na mesa e bom apetite!